Quando você pensou que eu não estava olhando….

Este mês completamos 4 anos de diagnóstico.

Um turbilhão de coisas já aconteceram em nossas vidas… tanto de coisas positivas quanto negativas, não dá para negar.

Hoje, uma das coisas que fiz no dia, foi participar da reunião de fechamento do ano da escola. Me lembro claramente de todas as reuniões dele que eu já participei. Quantas vezes passei de 1 a 2 horas ouvindo as coisas que ele não sabia fazer, as coisas que ele não era “capaz” de desenvolver e que ele “ atrapalhava” a sala…. Quantas vezes voltei pra casa com o meu coração dilacerado, com medo de estar fazendo errado, de não dar a ele o suporte necessário e que ele precisa pra vida dele..

Hoje, o resultado é positivo.

Resolvemos, por um empurrãozinho da vida, que ele deveria ir para uma escola especial. Hoje de manhã no trabalho comentava que desde o primeiro dia de aula, nunca precisei entrar pra explicar qualquer gosto que ele tenha, nunca precisei detalhar à escola as dificuldades dele e a forma que ele pedia as coisas. Passei 3 dias sentada na calçada da escola nova, nos 3 primeiros dias de aula, com medo dele precisar de algo e ninguém entender. E todos os dias, ele saia sorrindo !!

Desde que ele foi pra essa escola, as reuniões são sempre de apertar o coração, mas de alegria. Sempre volto pra casa chorando, mas de alegria. Sempre passo um tempo refletindo sobre os recados, mas de alegria….

Fizemos uma dinâmica diferente hoje e a proposta era que pudéssemos nos colocar no lugar do outro…. Imagina vocês que o nosso dia a dia condiz com tentarmos explicar a todos os seres humanos que nos cruzam nos lugares onde estamos, que Não ele não esta sofrendo, não estamos batendo neles, não estamos deixando de alimentá-lo e muito menos deixando de amá-los !

A questão é que julgar o próximo é fácil! O difícil e estar nessa situação, ser julgada e não existir nada nesse planeta que possa mudar a nossa situação.

Como fazer para seguir e ser capaz de continuar sã e viver como se nada tivesse acontecido.

Voltando à dinâmica… As mães deviam escrever no papel qual sua maior angústia em relação ao seu filho hoje e quem lesse, deveria tentar ajudar.

Que loucura….. Porque os mesmos medos, anseios, dificuldades e alegrias, conquistas, aprendizado são semelhantes.

Ao mesmo tempo essa loucura, nos permite entender que estamos aqui por eles, pra entender eles e temos apenas um item que pode salvar toda e qualquer situação. E esse ingrediente especial é o AMOR, o CUIDADO, o CARINHO, a COMPAIXAO e podemos resumir em uma única palavra: RESILIÊNCIA!

Me veio em mente também, o quão importante é dividir nossa experiência, o quão importante e necessário é termos apoio de pessoas que estão dispostas a estar ao nosso lado.

Não me lembro a última vez que participei do Grupo de apoio a pais que me ajudou horrores, mas hoje eu percebi que está na hora de voltar. E que isso não tem problema nenhum. Por que a vida é assim, hora precisamos de uma máscara para respirar se afastando um pouco do autismo e provavelmente existirá outras horas necessárias, mergulhando no autismo.

O fim da reunião de pais, foi compartilhado de momentos de comoção com todas as mães lendo o texto abaixo… E eu, bom, tô aqui com meu coração cheio de gratidão!

“ Quando você pensou que eu não estava olhando, eu vi você afixando minha primeira pintura na porta da geladeira e quis fazer mais uma.

Quando você pensou que eu não estava olhando, eu vi você fazer meu bolo preferido e entendi como pequenas coisas se tornam especiais.

Quando você pensou que eu não estava olhando, eu senti você me dando um beijo de boa noite e me senti amado.

Quando você pensou que eu não estava olhando, eu vi lágrimas escorrerem em seus olhos e aprendi que algumas coisas ferem e magoam, mas que não há problema em chorar.

Quando você pensou que eu não estava olhando, eu percebi que você se importava comigo e resolvi dar o máximo de mim.

Quando você pensou que eu não estava olhando, eu olhava… E, como seu filho, quero agradecer por todas as coisas que vi quando você pensou que eu não estava te olhando. “

20151030_160832

De todo meu coração Matheus, quando você ler esse post um dia, quero que saiba que por 2 anos teve uma professora chamada Thais. Ela sempre foi dura com você, amorosa, paciente e muito, mas muito divertida. Ela sempre amou o que fez e se dedicou a ajudar a mamãe muitas vezes a entender o que estava acontecendo…

Que ela sempre soube, sabe Deus como, tudo que você sentia e muitas vezes teve, inclusive, que advinhar o que queria. Mas que em nenhum momento ela desistiu. E isso o ajudou a crescer, isso o fez mais independente, isso deu start no seu processo de alfabetização e de independência para sua vida diária.

Sendo assim, a mamãe não sabe e não conseguiu encontrar ainda uma única palavra que defina o quão grata a ela eu sou. Por isso, dedicamos esse texto a ela. Professora Thais, esse texto é nossa forma de agradecimento pelo seu amor!

Ao infinito e Além!

Por você Matheus!

One response to this post.

  1. Posted by Analu on 15/11/2015 at 14:44

    Amei!!! A dinâmica, o texto, seu presente para a profa Thaís…e especialmente a sua “volta ao grupo de país”!!! (Whats app tbm??? E a Santos…qdo???)
    Te Espero…sempre!!!

    Bjs,
    Ana Lúcia

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

TodosSomosSemelhantes

Um pouco mais sobre a nossa vida...

Uma voz para o autismo

Um pouco mais sobre a nossa vida...

%d blogueiros gostam disto: